Artigos

Decisões para adoção e avaliação de tecnologias

Por Rogério Marchiori Coan

Os resultados econômicos nos últimos anos demonstram a viabilidade e, inclusive, tendência de tecnificação da pecuária de corte, haja visto que nas atividades pecuárias, quanto maior o aporte tecnológico, melhores tendem à ser os índices de produtividade (@/ha/ano) e lucratividade. Partindo do pressuposto que os empresários sabem da necessidade de tecnificação, a pergunta que surge é: como planejar a evolução tecnológica porteira adentro?

A demanda de recursos aumenta proporcionalmente ao aumento do aporte tecnológico na empresa. Isso se deve ao fato de que a empresa precisará investir em animais para reprodução, custear a compra de animais de reposição e intensificar as áreas de pastagens à medida que ganha em capacidade produtiva. As necessidades financeiras envolvidas são proporcionais ao aumento da taxa de lotação. Como exemplo, se o pecuarista duplicar o seu rebanho, a demanda de capital tende a duplicar também, quase que linearmente.

Nesse sentido, considerando que não haja investimento externo, a tecnificação da empresa deve ser planejada de maneira que seja viável atingir as metas de produção. É muito comum produtores que realizam investimentos com base em recomendações genéricas, artigos, conversas informais ou até porque algum outro produtor conhecido acabou investindo.

Na verdade, todos os métodos supracitados são importantes para se conhecer e criar o interesse por um determinado investimento ou tecnologia. No entanto, a decisão final deve passar por um processo detalhado, que não é, necessariamente, complexo. Apenas exige planejamento e levantamento de informações.

Todo investimento tem, por objetivo principal, gerar resultados econômicos. Investir, sem planejamento, com base em informações não avaliadas pode ser considerado um investimento “intuitivo”, que poderá ou não gerar resultado econômico para a empresa. Seguir alguns critérios, como os citados abaixo, no momento de decidir por um investimento é indispensável para se garantir uma boa relação benefício/custo.

a) Análise da viabilidade prática-operacional

É possível implementar tal tecnologia no atual contexto de produção da empresa? Se não, quais são as mudanças necessárias para que a tecnologia possa ser adotada na empresa?

b) Análise econômica

O objetivo da análise econômica é justamente confirmar a viabilidade de implementar a técnica, ou investimento na empresa. Utilizam-se normalmente dois conceitos consagrados para se avaliar a implantação de um novo projeto ou tecnologia: o valor presente líquido, a taxa interna de retorno e a relação benefício/custo.

c) Análise de prioridade econômica

Mesmo que após todas as avaliações, ainda seja constatado que o investimento ou projeto técnico traga resultados à empresa, ainda faltará uma outra análise inicial. Em que nível de prioridade econômica está o investimento?

Por fim, considerando o montante de recursos envolvidos, é de se imaginar que o processo de intensificação leve alguns anos para ser consolidado. Na verdade, com a rapidez com que se gera tecnologia no mundo de hoje, o processo de intensificação é perpétuo, o que exigirá constantes revisões de planos e objetivos por parte dos empresários.

Para promover a constante difusão de tecnologias e conhecimento, passaremos a assinar mensalmente a coluna Pecuária de Precisão na revista Feed&Food. A publicação é destinada à discutir de forma clara e objetiva os principais detalhes técnicos sobre a produção de bovinos de corte. Além disso, abordaremos temas focados em gestão e treinamento, importantes para a profissionalização do setor e a melhoria de seus processos. Afinal de contas, toda fazenda é uma empresa.

Área restrita

Entre em contato

Receber newsletter


Copyright 2013 Coan Consultoria